88746G-reforma-imovel

#07 Hábitos das pessoas que constroem (ou reformam) com inteligência

As pessoas quando pensam em construir ou reformar tem um comportamento muito parecido e surpreendente.

Elas começam a ter ideias de como serão os ambientes, qual será a solução construtiva, conversam com amigos que já estão construindo ou reformando, consultam sites de construção, e principalmente já se imaginam morando no imóvel novo ou no espaço renovado.

Elas ficam muito empolgadas e querem começar a obra logo! Só que essa empolgação e excesso de confiança faz tomar decisões equivocadas uma atrás da outra e é aqui que começa a surgir à famosa “Dor de cabeça de obra”

Tenho certeza que você aí também teve (ou está tendo) esse tipo de reação quando pensou em construir ou reformar. Só que você é inteligente e não quer dor de cabeça de obra, certo? Ficou interessado?

Nesse artigo você irá aprender mais sobre

– Por que todo brasileiro acha que sabe construir?

– O que não passa pela cabeça das pessoas que acham que sabem construir

– Por que você tem que se envolver na construção ou reforma?

– Os #07 Hábitos das pessoas que constroem ou reformam com inteligência

– Conclusão

Agora…

Por que todo brasileiro acha que sabe construir?

03 acontencimentos mais comuns (em diferentes momentos de uma obra):

  1. Na fase de “pensar em construir”: A pessoa encontra casualmente com um amigo ou parente que é engenheiro ou arquiteto e começa a falar que vai construir, que já tem a planta na cabeça, a técnica construtiva vai usar, os materiais de acabamento, que vai deixar toda a construção nas mãos do “pedreiro de confiança” e a obra será um espetáculo! Vai dar tudo certo… (será que vai?)
  2. Na fase de projeto: A pessoa já chega com a planta pronta, toda riscada em um papel e quer que o projetista “apenas” passe para o AutoCad e aprove na prefeitura (quando aprova, né?!). Um serviço simples, rápido e barato. Ela “acha” que tem mais habilidades que um projetista profissional.
  3. Na fase de obra: Esse é um exemplo particular… Ao descobrir que eu era Engenheiro e Arquiteto, as pessoas me convidavam para uma “visita rápida” na obra, apenas para dar uns “palpites” porque elas já resolveram tudo! As vezes que fui, via um monte de erros, total desconhecimento e que estavam gastando dinheiro sem necessidade…

O que tem de comum nesses três tipos de pessoas é o mais grave: Quando elas começavam a falar das técnicas construtivas e do uso dos materiais, já demonstravam completo desconhecimento de obra, e o pior, todas elas, sem exceção, se posicionavam com um status de experts no assunto.

O que NÃO passa pela cabeça das pessoas que “acham” que sabem construir

Foi após várias e várias situações como essas que descobri que todo brasileiro acha que sabe construir e que jamais passa pela cabeça das pessoas que elas:

  • Podiam estar erradas
  • Que desconheciam as técnicas construtivas
  • Que o projeto é fundamental para uma boa construção
  • Que o Pedreiro de Confiança não é o melhor profissional para dimensionar um pilar, uma viga, ou uma laje
  • Sem um planejamento e orçamento vão gastar mais tempo e mais dinheiro

Por que você tem que se envolver na construção ou reforma?

Sinceramente, acredito que se você vai construir ou reformar tem mesmo que se envolver com a obra, porque é a realização de um projeto que envolve três fatores muito importantes: SONHO, FAMÍLIA e ALTO CUSTO!

É justamente por isso, que você precisa tomar as decisões corretas para construir ou reformar com inteligência, valorizando seu dinheiro.

Você já percebeu que algumas pessoas constroem (ou reformam) suas casas com uma qualidade espetacular, economizando dinheiro e sem “dor de cabeça” de obra? Parece que tudo para elas dá certo, que fazer obra é fácil e constroem com uma velocidade que impressiona.

Essas pessoas existem sim, e se diferenciam da grande maioria porque tem hábitos únicos e os utilizam com uma inteligência que surpreende. Você vai conhecê-los agora com exclusividade!

Os #07 Hábitos das pessoas que constroem ou reformam com inteligência

#01. Se preparam para construir

A pessoa que quer construir ou reformar com inteligência se prepara buscando muito conhecimento relevante sobre o assunto, se prepara financeiramente e também emocionalmente para que essa jornada seja um sucesso, mesmo sabendo que alguns problemas vão acontecer (e vão acontecer).

#02. Conhecem as etapas e a sequência de uma obra

Aproveitam essa curiosidade que todo brasileiro tem com construção, para conhecer as etapas e sequência de uma obra com o objetivo de não ficar nas mãos do “pedreiro de confiança” e conseguir acompanhar sua obra com conhecimento.

#03. Sabem a importância dos projetos para uma obra ou reforma

O projeto de arquitetura que vai definir como será a casa ou o novo ambiente reformado. A fase de projetos é uma das mais importantes porque gera reflexos na própria obra, para o bem ou para o mal, e apenas esse pequeno grupo de pessoas no Brasil entende isso. A grande maioria dos brasileiros vê os projetos como custo e perda de tempo de construção.

Espero que você esteja ou entre para esse seleto grupo!

#04. O que um bom projeto deve levar em consideração

O mais importante ainda é o que um bom projeto deve conter. Um ótimo projeto tira proveito das melhores condições do terreno e gera ganhos incríveis em custo, prazo e no uso depois da obra pronta.

#05. Fazem um orçamento de toda a obra

Construir tem um custo muito alto, todo mundo sabe disso. Agora quero que faça uma reflexão: Quantas pessoas que constroem ou reformam fazem um orçamento da sua obra? …Você sabe que são poucas! E uma coisa eu posso afirmar com total tranquilidade: Se você não orçar sua obra, ela pode ficar 50% ou até 100% mais cara que o previsto.

Quer um exemplo real? A Petrobrás não orçou corretamente a refinaria de Abreu e Lima (Rnest) em Pernambuco. Estimou o custo em 3 bilhões de dólares e na realidade, após concluídas as obras, custará 18 bilhões de dólares (US$ 18.000.000.000,00), 600% mais cara!

#06. Fazem um planejamento de toda a obra

Mesmo para uma pequena reforma é preciso fazer um planejamento do custo, do prazo, da sequência construtiva.

O problema é que ao falar em planejamento de obra, muitas pessoas já imaginam planilhas e gráficos complicados, cheios de informações difíceis de entender. Se você também pensou assim, não se culpe por isso.

Fique tranquilo! O que sua obra precisa é de um planejamento simples, de fácil visualização e entendimento. Sem segredos, sem complicações, sem reinventar a roda.

#07. Acompanham a execução com conhecimento

A pessoa tem uma boa noção da sequência executiva de cada etapa de obra e, por isso, acompanha a evolução da obra de perto. Não que ela vá “botar a mão na massa”, mas com certeza vai saber o que cada profissional está fazendo na obra. Tudo isso evita que seja enganada por maus profissionais e o surgimento de problemas mais graves de execução de obra.

Conclusão

Se você chegou a esse ponto do artigo é porque quer construir ou reformar com inteligência e ter um resultado surpreendente na sua obra. Por isso, relembre com atenção os #07 hábitos:

#01. Se preparar para construir

#02. Conhecer as etapas e sequência de uma obra

#03. Saber a importância dos projetos em uma construção ou reforma

#04. Saber o que um bom projeto deve levar em consideração

#05. O orçamento da obra

#06. O planejamento da obra

#07. Acompanhar a execução

Sucesso na sua obra!!!

Artigo retirado do site Pedreirão

a-importancia-do-arquiteto

A importância do arquiteto na execução de reformas e construções

Quem se envolve em uma construção ou uma reforma, deve estar ciente da importância de envolver um arquiteto em seu projeto. O profissional da área, graduado em Arquitetura e Urbanismo, está apto a atuar em todas as frentes, desde planejamento urbano, edificações, paisagismo e interiores, estando capacitados e produzir laudos, projetos, fiscalização, execução de obras, perícias e estudo de viabilidade.

“Além de todos os projetos de Arquitetura e Urbanismo, os arquitetos estão habilitados a elaborar os projetos complementares para a execução de obras, que vão desde os projetos específicos de instalações elétricas, hidráulico-sanitárias, entre outros, até projetos estruturais e detalhamento final para a execução das obras, explica Roberto Py, presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU/RS).

Andréa dos Santos, presidente do Sindicato dos Arquitetos do rio Grande do Sul (SAERGS), também ressalta a necessidade do trabalho desse profissional nas obras da cidade, no planejamento urbano e na preservação e manutenção do patrimônio histórico, tanto direta quanto indiretamente.

“Quando construímos uma casa, por menor que seja o seu tamanho, um edifício ou uma praça, não estamos simplesmente fazendo uma intervenção em determinado local, e sim construindo cidades. Dessa forma, a arquitetura agrega um valor social e paisagístico único, comenta Andréa.

Por conhecer materiais e produtos adequados a diferentes usos e também por pensar inicialmente os espaços já prevendo a utilização posterior, a presença de um arquiteto em uma reforma ou construção pode gerar economia em se tratando de custo-benefício.

“Quando um profissional analisa um terreno para fazer o projeto da edificação, automaticamente ele já está pensando nas soluções possíveis para aquele local. É nesse momento que começam a ser definidos os aspectos econômicos da obra. Isso quer dizer que, ao longo da elaboração do projeto, os custos já são analisados e medidos. Não há como fazer economia e ter qualidade sem um planejamento geral da situação pretendida, define a presidente do SAERGS.

As características complementares à profissão influenciam na concepção do projeto. “A presença de um arquiteto agrega todas as qualidades que o processo criativo proporciona. Sempre que o trabalho é completo e se prolonga na própria construção, agrega também a dedicação e o prazer que se obtém ao ver por seu próprio trabalho realizado materialmente, acredita Roberto Py.

“Do ponto de vista do cliente, o trabalho do arquiteto está diretamente ligado ao atendimento das necessidades de quem o contratou. A equação entre o que foi solicitado, projeto e obra concluída, com todas as normativas legais e técnicas respeitadas, implica num processo exitoso e de qualidade, satisfazendo profissional e cliente, complementa Andréa.

Fonte: Revista Pense Imóveis